BelaVistaMS
Política

24/11/2017 - 09h35

Política

Governo cede a pressão, mas reduz pela metade socorro financeiro aos municípios

Willams Araújo

O montante de R$ 2 bi, no entanto, é inferior ao calculado pela CNM, que previa, por exemplo, repasse de R$ 58,720 milhões para MS.

O governo federal cedeu a pressão dos prefeitos ao anunciar na quarta-feira (22) a liberação de R$ 2 bilhões como parte do auxílio financeiro aos municípios, mas reduziu pela metade o montante reivindicado pelo movimento municipalista que planejava contar com R$ 4 bilhões para dar fluxo de caixa às prefeituras no fim do ano.

Ainda assim, a CNM (Confederação Nacional dos Municípios) considera uma conquista arrancar os valores dos cofres do Tesouro Nacional no momento em que os prefeitos mais precisam de dinheiro para honrar seus compromissos e fechar as contas, pagando principalmente o décimo terceiro salário dos servidores públicos.

Diante da pressão, o presidente Michel Temer determinou que até dezembro seja repassado auxílio financeiro de R$ 2 bilhões aos municípios brasileiros sob a forma do FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

Para a CNM, mais uma vez, a união, o engajamento e a mobilização dos gestores municipais mostraram que essa é a melhor forma de avançar nas pautas que trazem melhorias aos entes locais.

O montante, no entanto, é inferior ao calculado pela CNM, que previa, por exemplo, repasse de R$ 58,720 milhões para divisão proporcional entre os 79 municípios de Mato Grosso do Sul, caso o governo federal atendesse a reivindicação do movimento municipalista pela liberação dos R$ 4 bilhões como parte do AFM (Apoio Financeiro dos Municípios).

O vice-presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) e prefeito de Figueirão, Rogério Rosalin, liderou caravana de prefeitos do Estado durante o movimento em Brasília, em lugar do presidente da entidade, Pedro Caravina, que não pôde participar do ato porque cumpre agenda pública em Bataguassu, município que administra, e no Estado.

O presidente da Confederação, Paulo Ziulkoski, comemorou a conquista. “De tanto bater e bater, a gente conseguiu e teve a compreensão do presidente Temer. Isso demonstra mais uma vez esse espírito de fortalecimento dos nossos municípios. A gente sabe que foi uma gotinha d’água do que foi dado aos governadores, mas, no ano que vem, vamos continuar esse diálogo com o presidente”, afirmou.

Ainda segundo a entidade, o repasse de R$ 2 bilhões corresponde a metade do que foi solicitado de Apoio Financeiro aos Municípios, mas dará fôlego aos municípios diante da dura crise financeira enfrentada. O valor foi conseguido após negociações entre os presidentes de entidades estaduais com o presidente Michel Temer.

Ziulkoski também convocou os gestores municipais a estarem em Brasília nos dias 5 e 6 de dezembro. “Nós temos que ser firmes, nós temos que atuar fortes, mas não temos que quebrar ninguém. Portanto, essa unidade é que está nos levando a conquistas. Vamos colocar os municípios acima de tudo”, finalizou.

Enquanto aguardavam o resultado da reunião com o presidente da República, centenas de prefeitos cantaram o hino nacional e gritaram palavras de ordem. Eles também comemoram a derrubada do veto ao encontro de contas – mais uma conquista que os mais de 2 mil prefeitos celebraram na quarta-feira.


Galeria Galeria de Imagens






Comentários Comente a notícia


Leia maisMais notícias

TCE abre inscrições para curso direcionado aos profissionais do SUS

Direcionado aos profissionais atuantes da rede do Sistema Único de Saúde, prioritariamente aos vinculados ao Conselho Estadual e Municipal de Saúde, o objetivo do curso é capacitar conselheiros da saúde

Projeto E-EXTRATOR do TCE-MS é destaque em Congresso Nacional de Tribunais de Contas

Para o presidente do TCE-MS, conselheiro Waldir Neves, a participação nesse Congresso é muito importante para a troca de informações e conhecimento.

Governo cede a pressão, mas reduz pela metade socorro financeiro aos municípios

O montante de R$ 2 bi, no entanto, é inferior ao calculado pela CNM, que previa, por exemplo, repasse de R$ 58,720 milhões para MS.

Prefeitos definem estratégia de atuação durante mobilização em Brasília

A ideia é pressionar o governo central a liberar verbas adicionais às prefeituras brasileiras

Assomasul pode apoio à bancada federal para aprovação da pauta municipalista

Incluindo a fraca distribuição das transferências constitucionais, como o FPM, os prefeitos se queixam que a União não está honrando seus compromissos com os programas sociais

Paulo Corrêa entrega relatório da CPI da JBS ao presidente Junior Mochi

A suspensão também foi um pedido da CPI após a conclusão dos trabalhos e ficará mantida até que a Sefaz conclua a auditoria interna

Executivo e Legislativo discutem processos de melhoria

E para concretizar esse estreitamento de relação entre a Procuradoria Geral do Estado (PGE), Consultoria Legislativa (Conleg/Segov) e Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final (CCJR)

Solidariedade Mulher reúne militantes em Campo Grande

Martins disse esperar que o SD seja realmente um partido diferente também em relação a luta feminina

Por verbas adicionais, prefeitos vão a Brasília em nova mobilização nacional

Pelos cálculos da CNM, as 79 prefeituras de Mato Grosso do Sul terão direito a R$ 58,720 milhões





contato@belavistams.com.br
© 2011 - João Carlos Velasquez - Todos os direitos reservados

Webmail | Desenvolvido por JPWeb