BelaVistaMS
Política

18/09/2017 - 15h34

Política

Sefaz aponta que 41 municípios terão índice menor do ICMS em 2018

Willams Araújo

Resolução da Secretaria de Fazenda sobre índice definitivo do imposto foi publicada no DOE nesta segunda-feira (18). Bela Vista, Antonio João, Guia Lopes e Porto Murtinho terão aumento no ICMS.

O índice definitivo divulgado pela Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda) indica que 41 dos 79 municípios do Estado receberão menos recursos na cota da arrecadação do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) a que tem direito no exercício financeiro de 2018, enquanto 38 terão mais dinheiro como parte do tributo estadual para administrar.

Os dados foram publicados por meio da Resolução nº 6872, de 15 de setembro de 2017, no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (18).

A redução atingiu por ordem de classificação os municípios de Alcinópolis, Douradina, Nova Andradina, Coxim, Ribas do Rio Parto, Brasilândia, Batayporã, Jateí, Terenos, Laguna Carapã, Rio Negro, Bandeirantes, Costa Rica, Caarapó, Bodoquena, Pedro Gomes, Glória de Dourados, Chapadão do Sul, Cassilândia, Eldorado, Novo Horizonte do Sul, Naviraí, Miranda, Bonito, Caracol, Água Clara, Camapuã, Aral Moreira, Jaraguari, Corguinho, São Gabriel do Oeste, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Mundo Novo, Jardim, Campo Grande, Figueirão, Rochedo, Nioaque, Paranhos e Ladário.

Nesse caso, o município que mais perdeu foi Alcinópolis, cujo índice atual de recebimento do ICMS é 1,0067 e passará a ter 0,7310 em 2018, enquanto Selvíria está entre as 38 cidades que tiveram o índice elevado, de 0,5478 agora para 1,1058 ano que vem.

A divulgação dos índices é feita anualmente em cumprimento de norma nacional e serve para estabelecer o índice de participação dos municípios na arrecadação do ICMS que ocorrerá no ano seguinte.

Integram o índice de participação dos municípios na arrecadação do ICMS os seguintes critérios e percentuais: Valor adicionado (75%), receita própria (3%), extensão territorial (5%), números de eleitores (5%), ICMS ecológico (5%) e uma parte igualitária entre os 78 municípios (7%).
Embora responsável por 75% do cálculo, não é só o valor adicionado que integra a composição do índice de participação. A receita própria das cidades também é outro elemento econômico utilizado na regra, responsável por 5% da divisão.

Receita própria é, basicamente, a arrecadação dos tributos municipais, como o IPTU, ISS, ITBI e as taxas e contribuições de competência municipal.

ICMS maior

A mesma resolução da Sefaz-MS indica ainda que 38 municípios terão o índice de participação do ICMS elevado no exercício financeiro de 2018.
Por ordem de classificação, os municípios que terão mais dinheiro para investir a partir do ano que vem são Selvíria, Japorã, Ivinhema, Vicentina, Coronel Sapucaia, Nova Alvorada do Sul, Rio Verde, Taquarussu, Juti, Rio Brilhante, Antonio João, Paranaíba Três Lagoas, Guia Lopes da Laguna, Bataguassu, Corumbá, Paraíso das Águas, Maracaju, Sete Quedas, Tacuru, Angélica, Deodápolis, Amambai, Itaquiraí, Itaporã, Inocência, Aquidauana, Dois Irmãos do Buriti, Porto Murtinho, Sonora, Iguatemi, Sidrolândia, Aparecida do Taboado, Fátima do Sul, Bela Vista, Ponta Porã, Anastácio e Dourados.






Comentários Comente a notícia


Leia maisMais notícias

TCE abre inscrições para curso direcionado aos profissionais do SUS

Direcionado aos profissionais atuantes da rede do Sistema Único de Saúde, prioritariamente aos vinculados ao Conselho Estadual e Municipal de Saúde, o objetivo do curso é capacitar conselheiros da saúde

Projeto E-EXTRATOR do TCE-MS é destaque em Congresso Nacional de Tribunais de Contas

Para o presidente do TCE-MS, conselheiro Waldir Neves, a participação nesse Congresso é muito importante para a troca de informações e conhecimento.

Governo cede a pressão, mas reduz pela metade socorro financeiro aos municípios

O montante de R$ 2 bi, no entanto, é inferior ao calculado pela CNM, que previa, por exemplo, repasse de R$ 58,720 milhões para MS.

Prefeitos definem estratégia de atuação durante mobilização em Brasília

A ideia é pressionar o governo central a liberar verbas adicionais às prefeituras brasileiras

Assomasul pode apoio à bancada federal para aprovação da pauta municipalista

Incluindo a fraca distribuição das transferências constitucionais, como o FPM, os prefeitos se queixam que a União não está honrando seus compromissos com os programas sociais

Paulo Corrêa entrega relatório da CPI da JBS ao presidente Junior Mochi

A suspensão também foi um pedido da CPI após a conclusão dos trabalhos e ficará mantida até que a Sefaz conclua a auditoria interna

Executivo e Legislativo discutem processos de melhoria

E para concretizar esse estreitamento de relação entre a Procuradoria Geral do Estado (PGE), Consultoria Legislativa (Conleg/Segov) e Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final (CCJR)

Solidariedade Mulher reúne militantes em Campo Grande

Martins disse esperar que o SD seja realmente um partido diferente também em relação a luta feminina

Por verbas adicionais, prefeitos vão a Brasília em nova mobilização nacional

Pelos cálculos da CNM, as 79 prefeituras de Mato Grosso do Sul terão direito a R$ 58,720 milhões





contato@belavistams.com.br
© 2011 - João Carlos Velasquez - Todos os direitos reservados

Webmail | Desenvolvido por JPWeb