BelaVistaMS
Política

01/06/2017 - 16h46

Política

Caravina agradece apoio da bancada federal e reafirma pacto pela governabilidade

Willams Araújo

A derrubada do veto do presidente Michel Temer (PMDB-SP) ocorreu durante sessão conjunta do Congresso Nacional

O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Pedro Caravina, credita a derrubada do veto à reforma do (Imposto Sobre Serviços), além da forte mobilização nacional de prefeitos, ao empenho das bancadas federais dos estados que, segundo ele, culminou com o recuo do governo federal, resultando assim numa grande conquista do municipalismo.

A derrubada do veto do presidente Michel Temer (PMDB-SP) ocorreu durante sessão conjunta do Congresso Nacional, na última terça-feira (30).

No caso de Mato Grosso do Sul, segundo ele, a bancada não mediu esforços em favor dessa e de outras reivindicações dos municípios.

“Gostaríamos de agradecer esse importante apoio, ao mesmo tempo reafirmar nosso pacto, essa importante parceria pela governabilidade, porque quem sai ganhando com isso é a população”, declarou Caravina, referindo-se a derrubada do veto a trecho de uma lei que muda as regras de cobrança do ISS nas operações de cartões de créditos e débito, leasing e de planos de saúde.

Ao longo de todo o processo de negociação visando essa conquista, o presidente da Assomasul conversou com os senadores e deputados que integram a representatividade do Estado no Congresso, além de pedir pessoalmente ao presidente Temer, durante a XX Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios (de 15 a 18 de maio) a liberação da base aliada para derrubar o veto.

O veto sobre o ISS foi derrubado por 49 votos a 1, entre os senadores, e por 371 votos a 6, entre os deputados.

A derrubada do veto teve o aval do Palácio do Planalto, que, mais cedo, divulgou nota em que explicava a mudança de posição "em face de reivindicação dos municípios brasileiros".

A CNM (Confederação Nacional de Municípios) calcula que a mudança nas regras renderá em torno de R$ 6 bilhões para os municípios brasileiros.

Cobrança

O ISS é arrecadado pelas prefeituras. Atualmente, a cobrança é feita no município onde a empresa prestadora do serviço está sediada.

Pelo texto aprovado pelo Congresso, a cobrança passa a ser feita no município onde o serviço é consumido, ou seja, no domicílio dos clientes de cartões de créditos e débito, leasing e de planos de saúde.






Comentários Comente a notícia


Leia maisMais notícias

TSE recua e decide reduzir de 26 para 11 número de extinções de zonas eleitorais

Com o recuo do TSE, as zonas eleitorais extintas serão Porto Murtinho, Pedro Gomes, Rio Negro, Deodápolis, Inocência, Nioaque

Na primeira reunião CPI aprova requerimento que solicita TAREs e notas fiscais à Sefaz

À JBS a CPI solicitou cópias dos termos de concessão de benefícios fiscais firmados com o governo do Estado

MS mantém saldo positivo de 4 mil empregos gerados de janeiro a maio de 2017

O saldo positivo no acumulado do ano no Estado, no entanto, volta a sofrer o impacto da crise econômica do país

Costa Rica: vereadores se reúnem com o prefeito Waldeli e discutem recepção do governador de MS

O prefeito Waldeli foi quem solicitou ao presidente da Câmara, Lucas Lázaro Gerolomo, a realização de uma reunião com todos os 11 vereadores.

Governo assume compromisso de redução do ICMS do boi em pé de 12% para 7% durante 90 dias

Para tomar a decisão de diminuir momentaneamente a alíquota do ICMS das exportações de gado em pé

Contratos de aquisição de terras são entregues a 58 famílias no MS

A fazenda foi adquirida por 29 famílias de agricultores familiares da Associação Novo Modelo I

Mesa diretora da Câmara foca na capacitação de servidores

Através de curso para habilitação no sistema E-Protocolo

Caravina considera discrepante critério de extinção de zonas eleitorais em MS

O presidente da Assomasul alega que haverá acúmulo de demandas nas zonas

Vereadores convidam secretário de Administração e Finanças para avaliação dos trabalhos da prefeitura no município

A primeira dúvida foi em relação ao transporte escolar no que diz respeito ao cálculo





contato@belavistams.com.br
© 2011 - João Carlos Velasquez - Todos os direitos reservados

Webmail | Desenvolvido por JPWeb